home / notícias / BB Seguridade divulga ‘guidance’ para 2020 e indica ano mais desafiador ao crescimento

BB Seguridade divulga ‘guidance’ para 2020 e indica ano mais desafiador ao crescimento

Fatores macroeconômicos e de mercado, que ajudaram a impulsionar o lucro líquido acima do planejado em 2019, não devem se repetir neste ano

Valor Econômico - 11 de Fevereiro de 2020

Fatores macroeconômicos e de mercado, que ajudaram a impulsionar o lucro líquido acima do planejado em 2019, não devem se repetir neste ano, afirmou Bernardo Rothe, presidente da BB Seguridade, em teleconferência com analistas, segundo o Valor Econômico. Por isso, a aposta da companhia para obter um crescimento de dois dígitos, como o previsto para 2020, recai, basicamente, na melhora do desempenho operacional.

“Nós, como todo o mercado, tínhamos previsão de Selic no fim do ano bastante diferente e ninguém esperava uma compressão de curva de juros tão forte quanto a que ocorreu em 2019”, exemplificou ao citar uma das variáveis que ficaram de fora no cálculo das projeções de início de ano.

Para Rafael Sperendio, superintendente-executivo de finanças e relações com investidores, se forem somados os impactos de todos esses fatores não recorrentes, “é como se começássemos o ano de 2020 ‘devendo’ R$ 434 milhões em lucro líquido”. O executivo lista, entre as variáveis, o desinvestimento no IRB - o ressegurador contribuiu com R$ 119 milhões no lucro da BB Seguridade em 2019, repasse que não vai ocorrer neste ano.

Além disso, “é difícil que tenhamos um mesmo volume de ganhos com a marcação a mercado [de títulos pré-fixados e indexados à inflação] como em 2019”. A dinâmica favorável dos índices IGP-M, que corrige as aposentadorias dos planos de benefício definido, e o IPCA, que remunera parte dos títulos investidos pelos planos, ajudou em uma significativa redução de despesas.

O “guidance” para este ano prevê crescimento de prêmios da Brasilseg (excluindo DPVAT) de 5% a 10%. Já as reservas de previdência devem aumentar entre 10% e 13%. O resultado operacional não decorrente de juros ajustado (excluindo as holdings) vai se expandir de 7% a 13%. O próprio presidente da BB Seguridade reconheceu como conservador o novo guidance. O executivo ressaltou, porém, que as projeções refletem uma tendência de crescimento do grupo mais alinhado com os números tradicionais da indústria.