Denise Bueno
Denise Bueno

Jornalista especializada na indústria de seguros brasileira e internacional

BNDES vai atuar com seguros para garantir projetos

O próximo passo é o banco operar, em seus negócios de infraestrutura, com seguros e fianças para projetos 16 de Junho de 2020

Gustavo Montezano, presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), disse ontem em entrevista que pretende que o banco atue, ainda este ano, como garantidor, com seguro de crédito, em operações do mercado de capitais e em sindicalização com outros bancos.

Ele disse que o BNDES, para realizar sua missão de promover o desenvolvimento sustentável do Brasil, tem atuado historicamente pelo canal do crédito, como financiador principal do crédito direto e indireto. Nos últimos 12 meses, deu uma escala sustentável ao canal de serviços e, agora, pretende entrar no terceiro pilar, que é o seguro de garantias e fianças, que complementa os dois primeiros canais, quando o banco toma risco direto ou indireto do projeto, mas sem colocar o caixa proprietário.

Um marco disso ocorrerá no próximo mês de julho, com o lançamento do programa emergencial de acesso ao crédito, onde o banco vai atuar em escala nunca vista em seguro de crédito, mencionou Montezano. O próximo passo é o banco operar, em seus negócios de infraestrutura, com seguros e fianças para projetos.

“Isso é importante porque você começa a quebrar a sua matriz de risco em vários ítens de risco e em vez de atuar como um financiador principal no projeto, ele pode pegar uma matriz de risco, de uma parte temporal do projeto, de uma reserva de liquidez, e prover uma fiança para aquela parte do projeto”.

O BNDES está trabalhando na forma mais adequada de lançar essa nova modalidade no mercado, mas Montenazo afirmou que isso vai prover garantia de capitais para outros investidores que, porventura, não tenham o mesmo apetite do banco para outros vetores da matriz de risco. A ideia é fazer isso ainda este ano.

A corretora Wiz, da Caixa, vinha ajudando o banco a desenvolver um projeto neste sentido, no ano passado, em parceria com seguradoras, segundo acompanhou o blog Sonho Seguro.