home / notícias / Seguro para casas de veraneio deve seguir aquecido no pós-pandemia, prevê setor

Seguro para casas de veraneio deve seguir aquecido no pós-pandemia, prevê setor

Trabalho híbrido estimula consolidação da tendência, segundo seguradoras

Folha de S.Paulo - 22 de Novembro de 2021

Seguradoras que viram crescer a adesão às apólices para residências de veraneio por causa do home office no último ano estimam que o aquecimento deve se manter no pós-pandemia. 

A Allianz registrou aumento de 78% no número de novas apólices para casas do tipo no primeiro semestre de 2021 em relação ao mesmo período de 2020. Mais da metade são novas aquisições. O Rio de Janeiro foi o estado com o maior crescimento, de 200%, seguido por Ceará, que dobrou o volume, Santa Catarina (83%) e Paraná (82%), segundo a empresa. Para a superintendente de massificados da Allianz, Ana Freitas, a procura deve seguir em alta, impulsionada pela consolidação da tendência do modelo híbrido de trabalho.

A Porto Seguro também registrou crescimento na procura pelo serviço. O gerente de ramos elementares, Marcel Tornero, também atribui o movimento ao avanço no número de proprietários que colocaram seus imóveis para alugar por temporada.

A 3 SEG registrou crescimento de 65% em 2020 no volume de apólices residenciais para imóveis de alto padrão e, entre janeiro e outubro deste ano, dobrou a carteira impulsionada pelas residências de veraneio. A corretora também aposta no crescimento do modelo híbrido de trabalho entre empresários e alto executivos para manter o ritmo aquecido em 2022.