home / notícias / Lucro da Hapvida sobe 51,4% no segundo trimestre

Lucro da Hapvida sobe 51,4% no segundo trimestre

A receita líquida somou R$ 1,3 bilhão, ante R$ 1,1 bilhão, registrado no mesmo intervalo do ano anterior

Valor Econômico - 14 de Agosto de 2019

O Valor Online informa que a operadora de saúde Hapvida registrou, no segundo trimestre, um lucro líquido de R$ 227,1 milhões, um crescimento de 51,4% frente aos R$ 150 milhões, registrados no mesmo período de 2018, graças ao bom desempenho operacional e ao avanço da receita financeira líquida.

No período de abril a junho, a receita líquida somou R$ 1,3 bilhão, ante R$ 1,1 bilhão, registrado no mesmo intervalo do ano anterior, com o crescimento de 6% no número de beneficiários de planos de assistência médica e o avanço de 8,5% no ticket médio.

No caso dos planos odontológicos, o avanço de 8,8% na quantidade de beneficiários compensou o recuo de 2,6% do ticket médio. O índice de sinistralidade total (que inclui as movimentações da provisão para eventos ocorridos e não avisados, Peona, e provisão de ressarcimento ao SUS) foi de 59,9%, uma melhora de 1,1 ponto percentual em relação ao mesmo período do ano anterior.

O índice de sinistralidade caixa (que exclui o impacto das variações da Peona e da provisão de ressarcimento ao SUS) também apresentou melhora, de 0,4 p.p., encerrando o trimestre em 59,7%.

De acordo com a Hapvida, a melhora dos índices é reflexo “do sucesso do trabalho constante na gestão de sinistros, tais como a implantação de protocolos, padronização de procedimentos cirúrgicos e programa de médicos de família, além de investimentos no aumento da verticalização de nossa estrutura assistencial”.

As despesas totais avançaram 11,1%, para R$ 260,3 milhões, com as despesas de vendas subindo 16,2%, para R$ 129,4 milhões. As despesas administrativas totalizaram R$ 128,9 milhões no trimestre, queda de 2,5%.

O resultado financeiro líquido cresceu 58,4%, para R$ 59 milhões, beneficiado pelo ingresso líquido de aproximadamente R$ 2,53 bilhões em recursos oriundos da oferta pública primária de ações ocorrida durante o segundo trimestre de 2018. O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) somou R$ 293,8 milhões, alta de 40,6%. A margem Ebitda atingiu 23%, alta de 4,2 pontos percentuais (p.p.). Excluindo os efeitos do IFRS 16, o Ebitda subiu 28,2%, para R$ 268 milhões, com o avanço da margem sendo de 2,2 p.p.