home / notícias / Bancos privados estudam vender IRB

Bancos privados estudam vender IRB

Se Bradesco e Itaú entrassem na operação, seriam mais R$ 7,9 bilhões na oferta de ações.

Valor Econômico - 05 de Julho de 2019

O Valor Econômico revela que Bradesco e Itaú Unibanco estudam a possibilidade de vender as ações que detêm da resseguradora IRB em oferta pública junto com o Banco do Brasil (BB) e a União, ou ainda num passo seguinte, afirmam fontes que acompanham o assunto.

Os bancos privados já sinalizaram que não têm interesse em aumentar a participação na resseguradora - o governo chegou a sondar se eles exerceriam o direito de preferência e ficariam com suas ações, conforme noticiou o Valor. A questão é que manter a fatia que já detêm poderia implicar para Bradesco e Itaú responder pelo controle do IRB sem tê-lo de fato. A Bradesco Seguros tem 15,2% das ações ordinárias, e o Itaú Seguros, 11,1%.

A legislação atual determina que seguradoras, resseguradoras e bancos tenham controle definido. Isso deixaria de acontecer com a oferta das ações do IRB que pertencem à União e ao BB.

Para contornar esse impasse, uma sugestão da Superintendência de Seguros Privados (Susep) é que Bradesco e Itaú assumam essa figura para efeitos de regulação. Hoje a União tem 11,7% das ações do IRB mais uma 'golden share' e o BB detém 15,2%. Considerando o preço dos papéis no fechamento de ontem, a oferta movimentaria R$ 8,1 bilhões. Se Bradesco e Itaú entrassem na operação, seriam mais R$ 7,9 bilhões.

Por isso, um ponto a ser avaliado é se seria possível dar saída a todos esses acionistas de uma só vez. A venda das participações do governo e do BB na resseguradora estava inicialmente prevista para julho, mas com todas as questões que ainda estão em aberto são grandes as chances de o cronograma se estender.

Consultados, Bradesco e Itaú não comentaram o assunto.