Concessionárias preveem aumento de 10% nas vendas de carros em 2019


Folha de S.Paulo - 06/02/2019

A Folha de S.Paulo informa que as concessionárias acreditam que as vendas de veículos irão crescer 10,1% em 2019. O dado foi apresentado nesta segunda (5) pela Fenabrave, entidade que representa as distribuidoras de automóveis. O cálculo considera carros de passeio, comerciais leves, ônibus e caminhões.

O otimismo é baseado na oferta de crédito. Segundo Alarico Assumpção Júnior, presidente da Fenabrave, há R$ 167 bilhões disponíveis para financiamento de veículos: os bancos estão atrás dos bons pagadores que adiaram a troca do carro.

'Em um passado recente, apenas três em cada 10 fichas de crédito eram aprovadas pelas financeiras. Agora, essa proporção é de 6,2 em 10', afirma Assumpção.

A previsão da Fenabrave está alinhada com os resultados de janeiro. De acordo com a entidade, as 199,8 mil unidades emplacadas neste começo de ano representam crescimento de 10,2% na comparação com o mesmo período de 2018.

Em janeiro, a Anfavea (associação que representa as montadoras) também previu crescimento em 2019: 11,4% sobre 2018.

Apesar dos problemas que alega enfrentar no Brasil, a General Motors mantém-se na liderança, e com folga. Seu compacto Chevrolet Onix teve 18.482 unidades vendidas no primeiro mês do ano. O Ford Ka aparece em segundo (8.023).

Em comparação a janeiro de 2018 o Onix cresceu 17,3% nos emplacamentos.

A GM busca auxílio dos governos para recuperar perdas que afirma ter tido nos últimos anos. Para o presidente da Fenabrave, se algum pedido da montadora americana for atendido, o benefício tem que ser estendido a todas as fabricantes de veículos. 'Um filho não pode ser mais beneficiado que outro.'

Uma das ações previstas pela GM em seu processo de reestruturação envolve as concessionárias. A empresa quer reduzir a margem repassada aos lojistas pela comercialização de um de seus veículos, segundo representantes das revendedoras. O modelo não foi revelado.

Os concessionários não gostaram da ideia, que segue em discussão. Procurada pela reportagem, a montadora não quis se pronunciar sobre o assunto.