Falta gestão de riscos em pequenas empresas

Os sistemas de proteção automática das empresas foram o ponto mais negligenciado.
DCI - 10/07/2018

O DCI relata que informações resultantes da experiência de inspeção e de subscrição de riscos do Grupo Segurador BB e Mapfre chamam a atenção para a questão da falta de gerenciamento de riscos de segurança por empresas de pequeno e médio portes.

De 12,2 mil inspeções realizadas pela companhia nos últimos três anos, para 32% delas foram emitidas apólices. Os sistemas de proteção automática das empresas foram o ponto mais negligenciado.

A avaliação considerou se todas as áreas de riscos das empresas avaliadas eram protegidas com sistemas automáticos de prevenção e combate a incêndio, se essas proteções e o sistema de pressurização haviam sido instalados e mantidos conforme as normas técnicas e segundo as melhores práticas e, ainda, se havia abastecimento de água adequado e suficiente para os sistemas protecionais instalados.

'Das 10 coberturas mais contratadas nos seguros de riscos industriais, seis correspondem a cerca de 95% dos valores das indenizações de sinistros. Isso quer dizer que medidas preventivas poderiam ser tomadas para reduzir a sinistralidade e, por consequência, trazer melhores taxas para os produtos de seguros', explica Almir Fernandes, diretor de Riscos Industriais do Grupo Segurador BB e Mapfre.

O setor de destaque para valores em risco menores foi o da indústria de metais e máquinas, com média de avaliação de 66,04 pontos, numa escala que vai até 100 pontos. Já para valores em risco superiores a R$ 50 milhões, o setor de Energia se sobressaiu, com avaliação média de 81,06 pontos.

O Grupo Segurador Banco do Brasil e Mapfre é líder no segmento de riscos, com 18,9% de mercado, e combina conhecimento técnico e capacidade analítica para projetar programas de risco ideais para exposições nacionais e globais.