Expansão do mercado depende de retomada econômica


O Globo - 20/06/2018

Aumentar a cobertura de seguro num país de renda média, como é o caso do Brasil, é mais difícil, principalmente depois de três anos seguidos de recessão e estagnação, continua O Globo. Marcio Serôa de Araújo de Coriolano, presidente da Confederação Nacional das Seguradoras (CNSeg), diz que, para uma expansão maior do segmento, o setor depende da retomada de emprego, renda e produção, assim como da promoção de um ambiente regulatório estável. A educação do consumidor e dos corretores é outro caminho para tentar ampliar o mercado.

“A retomada de um círculo virtuoso, não só para o setor de seguros, mas para todo o país, vai depender da retomada de economia, de que se destravem projetos de investimentos e também da recuperação da renda”, afirmou Coriolano.

Mas a baixa disseminação do seguro entre os brasileiros, não se resume a uma questão de renda, avalia a doutora em Psicologia Social pela PUC-SP, Vera Rita de Melo Ferreira. Especializada em comportamento econômico, a psicóloga diz que diferentemente do que acontece, por exemplo, nos EUA e na Inglaterra, não temos uma cultura de seguro:

“Temos a característica da imprevidência. Porém, nos países onde há a cultura da prevenção, de um modo geral, vê-se uma espécie de manada, em que as pessoas não tomam esta decisão de forma individual. É um hábito. Educação e comunicação são pilares para esclarecer e informar corretamente, e, a partir daí proporcionar uma relação de consumo saudável. O modo como são apresentadas as informações afeta a avaliação e a decisão”.

Diretor técnico da CNSeg, Alexandre Leal, diz que outra forma encontrada pelo mercado para reduzir a sensação de que o seguro é um dinheiro gasto por nada é agregar serviços aos produtos. Por exemplo, ao contratar o seguro residencial, o cliente também tem direito a chaveiro 24 horas ou limpeza de caixa d'água. O seguro-automóvel pode oferecer serviços em oficinas mecânicas parceiras até a limpeza do automóvel, além de descontos em estacionamentos e vantagens em postos de combustíveis.

“Ao agregar outros serviços, você tem a possibilidade de uma aproximação maior entre a seguradora e o cliente. Normalmente, assinada a apólice, encerra o contato com o corretor. Esta é também uma forma de aproximar a clientela do setor, oferecendo este outro tipo de produto agregado ao seguro”, diz Leal.