Fundos de pensão devem ajustar taxa atuarial, segundo a Previc

"As fundações vão ter de se ajustar à realidade", disse o diretor superintendente interino da Previc, Fábio Coelho.
Valor Econômico - 13/06/2018

O segmento de fundos de pensão possui atualmente 125 planos com taxas atuariais superiores a 5,5% - pouco mais de 10% do total - e a expectativa da Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc) é que elas sejam ajustadas no curto e no médio prazos, para refletir o novo patamar de juros da economia, registra o Valor Econômico.

'As fundações vão ter de se ajustar à realidade. A média das taxas de 2016, 2017 e 2018 é que vai dar a dinâmica do ano que vem. Desde o ano passado, temos movimento de redução das taxas, mas ainda veremos reduções para 2019', disse o diretor superintendente interino da Previc, Fábio Coelho. Hoje o sistema tem 1.108 planos, distribuídos em 306 fundações.

Ele se refere às taxas de juros parâmetros, divulgadas em abril pela Previc e que são utilizadas como premissa para calcular a meta atuarial das fundações. Para este ano, os limites superiores da banda para um plano com duração de dez anos caíram de 6,66% para 6,39%. Em 2017, a taxa atuarial média dos planos de benefício definido foi de 5,32% ao ano.

Segundo o regulador, com base na taxa parâmetro divulgada e informações de taxas de juros atuariais, nove planos estariam fora da banda autorizada para 2018. Caso se confirme a redução no teto, o número de planos desenquadrados 'aumentará significativamente', caso não adotem medidas mitigadoras, diz a autarquia no relatório.