Penteado: "Planos odontológicos"


O Estado de S. Paulo - 11/06/2018

Planos odontológicos

Antonio Penteado Mendonça comenta em sua coluna no Estadão que a imensa maioria das consultas a dentistas são procedimentos de rotina, como limpeza dos dentes, raspagem da gengiva, retirar tártaro, refazer obturações, verificar cáries, etc. Mas há procedimentos mais sofisticados que também são feitos regularmente, como colocar aparelho, extrair dentes, tratar canal, fazer implante, etc.

“Esta gama de procedimentos tem em comum uma coisa: o preço. Dentista hoje custa caro. Não porque os profissionais não mereçam o que cobram, mas porque a remuneração média do brasileiro é baixa e invariavelmente mal dá para os custos fixos do dia a dia. Qualquer despesa extra onera a conta e quando esta despesa é um pouco maior e inadiável, como é o caso de ter que tratar uma dor de dente, o desequilíbrio financeiro pode evoluir para entrar no cheque especial ou fazer um empréstimo para pagar a conta”, explica.

“Não é por outra razão que o brasileiro, além dos planos de saúde privados clássicos, nos últimos anos, tem procurado e contratado planos odontológicos. É a solução para uma despesa certa que ocorrerá num momento incerto, podendo agravar substancialmente a situação econômica do cidadão”, conclui.