Mercado projeta aumento de benefícios com reforma trabalhista

Mais flexibilidade na aquisição de medicamentos e no acesso a serviços médicos e odontológicos.
Valor Econômico - 12/04/2018

O Valor Econômico informa que a reforma trabalhista pode alavancar as políticas de benefícios das empresas. A expectativa de algumas operadoras de serviços e premiações é que o mercado triplique nos próximos cinco anos. Hoje, o setor movimenta cerca de R$ 150 bilhões por ano.

Os trunfos são dois artigos da nova legislação: 457 e 458. O primeiro trata da segurança na concessão de benefícios ao assegurar que eles não integram a remuneração do empregado, não se incorporam ao contrato de trabalho, nem constituem base de incidência de encargo trabalhista e previdenciário. O segundo garante maior flexibilidade na concessão de novos tipos de auxílio-alimentação, na aquisição de medicamentos e no acesso a serviços médicos e odontológicos.

'É uma nova era de relacionamento com os empregados', diz Raul Moreira, presidente da Alelo, controlada por Banco do Brasil e Bradesco e uma das líderes no segmento com 100 mil empresas clientes, quase 7 milhões de trabalhadores atendidos e movimentação de R$ 30 bilhões por ano. Ainda resta certa insegurança jurídica, mas estamos preparados para atender a demanda se houver adesão à nova lei', afirma Geraldo França, presidente da Sodexo Benefícios e Incentivos, também player de peso do setor, com 6,4 milhões de usuários e 97 mil clientes corporativos.

Produtos como vale transporte, ticket-refeição e plano de saúde já não previam encargos e não devem sentir os impactos da nova legislação. Mas a expectativa é que haja um incremento na concessão de óculos e próteses, por exemplo, contemplada pela reforma.