Sistema de monitoramento chinês promete reduzir o preço do seguro auto

O governo chinês está desenvolvendo um sistema que pretende integrar as 172 milhões de câmeras de segurança hoje existentes no país
CQCS - 11/01/2018

Com objetivo de combater os crimes, o governo chinês está desenvolvendo um sistema que pretende integrar as 172 milhões de câmeras de segurança hoje existentes no país, entre públicas e privadas, para monitorar os cidadãos com a ajuda de um sistema que utiliza a inteligência artificial para o reconhecimento facial. 

No caso de um roubo de automóvel, por exemplo, além do criminoso ser imediatamente reconhecido, o sistema permitirá que o veículo seja seguido pelas câmeras em tempo real, facilitando enormemente sua recuperação e reduzindo drasticamente o preço do seguro. Entretanto, defensores da privacidade argumentam que o sistema pode ser utilizado para perseguir ativistas, dissidentes ou qualquer opositor ao regime chinês.

Hoje, o mercado de reconhecimento facial já movimenta mais de 10,6 bilhões de reais no mundo e poderia chegar a 24,8 bilhões de reais em 2022, segundo a consultora MarketsandMarkets. Além do governo chinês, estudantes, startups e até empresas como Google e Microsoft participam do desenvolvimento da tecnologia. A expectativa é que até 2020 a iniciativa já esteja onipresente e oniciente em todo o país.