home / notícias / Dois são presos por simular roubo de carro para ficar com seguro

Dois são presos por simular roubo de carro para ficar com seguro

Carro que seria levado para Ponta Porã está avaliado em R$ 100 mil

CQCS - 16 de Novembro de 2017
O dono do veículo, João Erinal de Almeida, 45 anos, era cúmplice no plano. Ele havia financiado o automóvel e pretendia lucrar R$ 120 mil com a seguradora.

Dois suspeitos de aplicar golpes em seguradoras de veículo foram presos na noite deste domingo, no Km 453 da BR-163, na saída para São Paulo, em Campo Grande. Philipe Fontinele de Sousa, 29 anos, e Edson Brito Reis, 33 anos, venderiam o carro com placas de Brasília (DF) avaliado em R$ 100 mil, em um estabelecimento na Avenida Internacional, em Ponta Porã, distante 323 quilômetros de Campo Grande.

O dono do veículo, João Erinal de Almeida, 45 anos, era cúmplice no plano. Ele havia financiado o automóvel e pretendia lucrar R$ 120 mil com a seguradora.

Conforme delegado Hoffman D’Avila, que atendeu a ocorrência, por volta das 15h, Philipe e Edson seguiam em alta velocidade em um Honda Civic, de cor prata, quando foram abordados por policiais rodoviários federais. Durante consulta no sistema da polícia, a equipe descobriu que carro tinha registro de roubo.

Os dois, então, foram presos e levados para a Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) da Vila Piratininga. Questionados sobre o crime, cada um contou uma história. “O depoimento não batia com a dinâmica que mostravam os fatos”, diz a autoridade policial.

Até que os dois homens confessaram que aplicariam golpe na seguradora. Nos aparelhos celulares dos suspeitos, foram encontradas conversas entre os dois e o dono do veículo combinando o golpe. “Havia fotos dos dois presos com o dono do carro. Eles são amigos e comemoravam mais um golpe, segundo Hoffman.

Os criminosos haviam combinado com o dono para registar o boletim de ocorrência às 18h. Mas, por algum motivo, o registro foi realizados às 12h. “Não deu tempo do carro chegar a Ponta Porã. A gente não sabe se o pagamento seria em dinheiro ou em drogas”, diz o delegado. A Polícia Civil de Brasília já foi informado sobre o fato. Ainda não há informação se o dono do automóvel foi preso.

Carro que seria levado para Ponta Porã está avaliado em R$ 100 mil.