home / notícias / Brasil tem menor índice de pessoas com Seguro de Vida entre 11 países pesquisados pela Zurich

Brasil tem menor índice de pessoas com Seguro de Vida entre 11 países pesquisados pela Zurich

Segundo a esquisa entre os brasileiros, 68% consideram melhor receber a indenização em pagamentos regulares, e 20% preferem o montante total

Zurich - 28 de Dezembro de 2016

O mercado de seguros pessoais tem muito para crescer no Brasil ainda. Somente 19%, entre mais de mil brasileiros pesquisados pela seguradora Zurich, têm algum produto que previne a perda de renda em caso de Morte, o pior índice entre 11 países pesquisados para o Estudo Zurich – Falhas na Proteção de Renda/2016, realizado em conjunto com a Universidade Oxford.

 

O segundo país com mais baixo índice é o Reino Unido, com 21% de penetração deste tipo de seguro. A média global é de 32% de assegurados. Especificamente em relação a Seguro contra doença ou invalidez, somente 22% dos entrevistados no Brasil têm o produto. 

Ainda sobre os dados nacionais, 78% afirmam não ter bom conhecimento sobre os produtos contra perda de renda causado por morte, e 71% não conhecem bem os que previnem perda causada por invalidez ou doença grave.

 

Dentre os entrevistados que não têm o Seguro de Vida no Brasil, mais da metade (56%) considera adquirir algum tipo de produto de proteção de renda.

Vale observar que o Brasil apresenta maior interesse em comprar algum tipo de Seguro de Vida que outros sete países analisados, tendo índice menor que Itália (65% de interesse), México (71%) e Malásia (73%).

 

Outro dado interessante observado pelo Estudo da Zurich é que, entre os brasileiros, 68% consideram melhor receber a indenização em pagamentos regulares, e 20% preferem o montante total.

 

Em tempo: as seguradoras detêm a preferência dos brasileiros na aquisição de formas de se prevenir contra perda repentina de renda, ante expectativa de suporte proveniente do governo e de empregadores.

Mais sobre o Estudo Falhas na Proteção de Renda/2016:

  • Objetiva sensibilizar a sociedade e desenvolver um entendimento sobre as causas e as consequências das falhas na proteção de renda, e o que representam para indivíduos e macroeconomia
  • Realizado pela seguradora Zurich em conjunto com a Universidade de Oxford
  • Mais de 11.500 entrevistas
  • 11 países (Brasil, México, EUA, Reino Unido, Itália, Espanha, Alemanha, Suíça, Malásia, Hong Kong e Austrália)
  • Análises quantitativa e qualitativa, elaboradas de forma contínua para compartilhamento com o público em geral