Economia do Seguro

Francisco Galiza

Francisco Galiza

Mestre em Economia (FGV); membro da ANSP (Academia Nacional de Seguros e Previdência); autor do livro “Economia e Seguro – Uma Introdução” (3ª edição); coordenador da Revisão do Dicionário da Funenseg, em 2011; professor do MBA-Seguro e Resseguro (FUNENSEG); sócio da empresa Rating de Seguros Consultoria (www.ratingdeseguros.com.br).

Seguro por desistir de casar

Comentários Econômicos - 23/01/2014

Todos conhecem bem os seguros mais comuns: automóvel, saúde, vida, residencial, empresarial, etc. Entretanto, existem aquelas coberturas que aparecem em situações bem específicas. O jornal americano "Star Tribune" faz uma reportagem sobre um desses casos, em "Planning a wedding? Insurance firms sell policies covering weather, illness, change of heart".
 
Ver.
 
         http://www.startribune.com/lifestyle/relationship/241161101.html
 
         O texto fala dos riscos mais comuns existentes em um casamento, como mudanças climáticas, doença na família, falhas na organização, deslocamento militar deum dos noivos, etc.
 
Porém, a cobertura mais curiosa é a que permite reembolso no caso de desistência de um dos noivos, por motivos de foro íntimo (ou por "change of heart", como cita o artigo). Nesse caso, por risco de fraude, a seguradora toma certas precauções, como exigir que o casamento tenha sido programado com muita antecedência, etc. De qualquer maneira, o critério de taxação não deixa de ser interessante.
 
         Nos EUA, existem atualmente 2 milhões de casamentos por ano, a um custo médio por cerimônia de US$ 26 mil. Estima-se que esse seguro ainda tenha um pequena presença (aparece em menos de 1% das festas).

Ver outros artigos de Comentários Econômicos