Economia do Seguro

Francisco Galiza

Francisco Galiza

Mestre em Economia (FGV); membro da ANSP (Academia Nacional de Seguros e Previdência); autor do livro “Economia e Seguro – Uma Introdução” (3ª edição); coordenador da Revisão do Dicionário da Funenseg, em 2011; professor do MBA-Seguro e Resseguro (FUNENSEG); sócio da empresa Rating de Seguros Consultoria (www.ratingdeseguros.com.br).

Previsões Seguros Mundiais em TI, 2014

Comentários Econômicos - 19/12/2013

O ano vai terminando e, em conseqüência, surgem as listas de previsões.
        
Nessa linha, a conhecida publicação Insurance & Technology acaba de divulgar artigo comentando sobre cinco tendências mundiais para o setor de seguros em 2014 (em especial, para a área de TI). De um modo geral, há um cenário otimista para o segmento.
 
Ver abaixo o texto, denominado "2014 Insurance industry Outlook: 5 Predictions".
 
http://www.insurancetech.com/management-strategies/2014-insurance-industry-outlook-5-predic/240164794
 
Abaixo, um resumo dos tópicos citados.
 
1) Seguradoras de Ramos Elementares com resultados melhores, inclusive pelo ajustes de preços. Nas empresas do ramo de pessoas, a concorrência ainda é grande, o que pode dificultar um pouco.
 
2) As projeções de crescimento das economias dos países estão melhores. Com isso, os investimentos nos emergentes voltarão com mais intensidade (o que interessa ao Brasil, em particular). Eficiência operacional, melhora na distribuição e investimentos em TI são temas importantes para as empresas.
 
3) Novas tecnologias de TI estão em trajetória crescente - por exemplo, do tipo SMAC ("Social, Mobility, Analytics, and Cloud"), análise de informações, etc.
 
4) Os orçamentos para as áreas de TI irão ser ajustados para cima, diante de uma realidade econômica mais favorável. Contudo, temos um alerta. Pesquisa recente indica que quase 70% dos executivos de informática estão dispostos a mudar os seus prestadores de serviço em 2014.
 
5) Consolidações e aquisições na área empresarial de seguros devem continuar, o que pode ser uma oportunidade para o segmento de TI.

Ver outros artigos de Comentários Econômicos