Economia do Seguro

Francisco Galiza

Francisco Galiza

Mestre em Economia (FGV); membro da ANSP (Academia Nacional de Seguros e Previdência); autor do livro “Economia e Seguro – Uma Introdução” (3ª edição); coordenador da Revisão do Dicionário da Funenseg, em 2011; professor do MBA-Seguro e Resseguro (FUNENSEG); sócio da empresa Rating de Seguros Consultoria (www.ratingdeseguros.com.br).

Evolução do Seguro do Brasil no Mundo

Comentários Econômicos - 30/06/2015

Nesse mês, a Swiss Re divulgou o seu tradicional estudo de avaliação do mercado segurador mundial.

Ver...

http://www.swissre.com/reinsurance/insurers/sigma_42015_world_insurance_in_2014_back_to_life.html

A partir desses números, é interessante observar a participação do Brasil no mundo, em termos de faturamento. Por exemplo, os seguros do tipo "non life" (automóvel, patrimonial, responsabilidade civil, etc), conforme gráfico a seguir.

Há 10 anos, essa participação era de 0,9% do mercado mundial. De 2005 a 2011, o segmento teve uma trajetória crescente, atingindo o patamar de 1,9% em 2011. Desde então, temos praticamente uma estabilização dos números.

Ver outros artigos de Comentários Econômicos