Economia do Seguro

Francisco Galiza

Francisco Galiza

Mestre em Economia (FGV); membro da ANSP (Academia Nacional de Seguros e Previdência); autor do livro “Economia e Seguro – Uma Introdução” (3ª edição); coordenador da Revisão do Dicionário da Funenseg, em 2011; professor do MBA-Seguro e Resseguro (FUNENSEG); sócio da empresa Rating de Seguros Consultoria (www.ratingdeseguros.com.br).

O futuro da indústria de automóvel

Comentários Econômicos - 07/11/2014

A empresa de consultoria McKinsey acaba de publicar o estudo "A road map to the future for the auto industry", avaliando as tendências da indústria de veículos no mundo.

Ver...

http://www.mckinsey.com/insights/manufacturing/a_road_map_to_the_future_for_the_auto_industry?cid=other-eml-nsl-mip-mck-oth-1411

Devido à importância desse segmento na área de seguros, é sempre oportuna uma análise dessas conclusões.

Abaixo, as cinco principais tendências:

  1. O fator China. Em 1994, a China representava 1% das vendas de veículos. Hoje, 20 anos depois, o número é 25%, sendo agora o seu maior mercado.
  2. Aumento da regulação. Cada vez mais, a regulação vai crescer - em termos de segurança e de sustentabilidade. Esse é um grande desafio para essa indústria.
  3. Conectividade digital do automóvel. O veículo como um instrumento de comunicação. Nesse ano, a National Highway Traffic Safety Administration (NHTSA) - órgão que controla a segurança do tráfico viário nos EUA - afirmou que tornará obrigatória a comunicação digital entre os veículos.
  4. Veículos compartilhados. O automóvel para uso comum, sem a necessidade da propriedade. Nas novas gerações, essa é uma tendência mais forte.
  5. Carros autônomos. Com todos os seus desafios, o carro sem motorista e controlado de forma eletrônica está se delineando no futuro.

Uma figura interessante abaixo, que mostra um exemplo do aumento da segurança nos veículos.
 
Na direção horizontal, os diversos avanços tecnológicos, desde a década de 70. Na direção vertical, os tipos de acidentes que foram evitados a partir da instalação desses mecanismos.

Ver outros artigos de Comentários Econômicos