Economia do Seguro

Francisco Galiza

Francisco Galiza

Mestre em Economia (FGV); membro da ANSP (Academia Nacional de Seguros e Previdência); autor do livro “Economia e Seguro – Uma Introdução” (3ª edição); coordenador da Revisão do Dicionário da Funenseg, em 2011; professor do MBA-Seguro e Resseguro (FUNENSEG); sócio da empresa Rating de Seguros Consultoria (www.ratingdeseguros.com.br).

Em abril, confiança do setor de seguros continuou em queda

Comentários Econômicos - 05/05/2014

Em abril, o ICES (Índice de Confiança e Expectativas das Seguradoras) atingiu o seu menor valor, desde que esse indicador foi criado há 18 meses.

Nos outros indicadores de confiança calculados - ICER (Índice de Confiança e Expectativas das Resseguradoras) e ICGC (Índice de Confiança das Grandes Corretoras) -, a trajetória também não é favorável.

Ao final, o ICSS/FENACOR (Índice de Confiança do Setor de Seguros), resultado das três variáveis citadas anteriormente, fechou em 82,1, uma avaliação pessimista.

Não existe dúvida que o comportamento desses números sinaliza uma preocupação crescente das principais empresas do segmento de seguros com o futuro da economia brasileira e, naturalmente, com as conseqüências desse fato nos seus respectivos negócios.

Abaixo, a trajetória do ICES.

Clique para acessar a análise mais detalhada dos resultados.

Ver outros artigos de Comentários Econômicos