Robert Bittar

Robert Bittar

Presidente da Escola Nacional de Seguros

Escola Nacional de Seguros: aprimoramento para acompanhar as mudanças

A Escola segue ampliando e modernizando sua grade de cursos e se adapta a uma mudança de comportamento dos alunos.
07/12/2018

Como a Escola está se adaptando às mudanças no mercado de trabalho no setor de seguros?

A indústria brasileira de seguros guarda particularidades, no tocante à qualificação dos seus atores, que a diferem dos demais segmentos da nossa economia. Isso porque ela sofre constantes mudanças de ordem regulatória e, permanentemente, é impactada com a criação de novos produtos. Esses fatores, evidentemente, exigem dos profissionais do setor um investimento contínuo na capacitação e atualização de conhecimentos. Atenta a este cenário, a Escola Nacional de Seguros, como principal instituição de formação e qualificação de mão de obra especializada, mantém uma intensa interlocução com os diversos segmentos do mercado a fim de mapear as reais necessidades de treinamento e, assim, desenvolver e oferecer programas educacionais para atender a essas demandas. Podemos afirmar que a Escola também vive um processo contínuo de aprimoramento e revisão dos seus processos, para estar totalmente alinhada às melhores práticas quando o assunto é o ensino do seguro. Para exemplificar com casos práticos, cito três projetos que aconteceram neste ano: o lançamento do MBA Executivo em Negócios de Seguros, curso desenhado a partir de conversas com o mercado; a total digitalização do material didático do Curso para Habilitação de Corretores de Seguros, que gerou mais praticidade e autonomia nos estudos aos futuros corretores; e a realização do 11º encontro com dirigentes e gestores das áreas de Recursos Humanos das seguradoras, que teve como propósito discutir pontos fortes e de melhorias da Escola, as expectativas das empresas em relação à Instituição, e propor desafios e sugestões para o futuro.

Quais são as principais iniciativas adotadas (novos cursos, ensino a distância etc.)?

Em meados deste ano, a Escola lançou um novo MBA nas modalidades presencial e online, o Executivo em Negócios de Seguros. Já no lançamento, o curso despertou o interesse de mais de 400 pessoas e se difere dos demais programas dessa categoria por ser mais curto, já que tem duração de apenas um ano, e também por dar a oportunidade ao aluno de escolher a área na qual irá se especializar, dentre três pré-definidas ou em uma quarta opção totalmente customizada. As aulas da primeira turma online começaram em novembro e está previsto para fevereiro de 2019 o início das turmas presenciais, no Rio de Janeiro (RJ) e em São Paulo (SP).

Ainda falando sobre pós-graduações, 2018 marcou o início do primeiro MBA online específico para o setor, o Gestão de Seguros e Resseguro. Este curso já existia de maneira presencial apenas nas capitais do Rio e de São Paulo, e teve sua versão online lançada no final de 2017. Desde março formamos três turmas, que somam mais de 120 alunos. Outra novidade da Escola neste ano foi a realização do inédito treinamento sobre Gerenciamento de Riscos e Seguros, em Londres, no início de setembro. Levamos à capital inglesa 15 profissionais brasileiros, que tiveram a oportunidade de conhecer as melhores práticas internacionais relacionadas a esta atividade considerada vital nas operações de seguros e resseguros. O grupo também visitou a histórica sede do Lloyd’s e teve oportunidade de lá conhecer a recém-criada aceleradora de inovação e ideias, o Lloyd’s Lab. Este foi o primeiro grupo internacional de profissionais a visitar as instalações do laboratório. O treinamento foi ministrado em parceria com o The Chartered Insurance Institute (CII), instituição com a qual a Escola mantém convênio há mais de 15 anos.

Como está a demanda por cursos?

Em momentos como o que estamos passando no Brasil, de retração econômica, naturalmente alguns setores acabam sofrendo um maior impacto negativo, com diminuição nos investimentos e encolhimento das atividades. As incertezas inerentes a esse cenário recessivo fazem com que muitas pessoas fiquem mais cautelosas e posterguem decisões de gastos, inclusive em formação. No entanto, sempre existe o outro lado da moeda. Há quem enxergue a necessidade de encorpar o currículo para ter melhores oportunidades no mercado de trabalho. Podemos afirmar que estamos presenciando na Escola Nacional de Seguros uma mudança de comportamento do nosso público, há uma clara mudança no comportamento dos alunos, que vêm aceitando muito bem a ideia de estudar online, privilegiando esta modalidade, que se torna mais racional do ponto de vista de investimento em tempo dedicado aos estudos, da não-necessidade de deslocamento a um centro de ensino e que tende a exigir também menos investimento financeiro do que a modalidade presencial. Acredito que essa não seja uma particularidade da nossa Instituição, mas uma importante mudança comportamental da sociedade, pois significa, fundamentalmente, praticidade e ganho de tempo. A cada dia, a tecnologia muda a maneira como as pessoas se relacionam entre si e com o mundo, e isso traz consequências em todas as esferas da vida. E o segmento de Educação também se aproveita da tecnologia para oferecer comodidades. Entendo que a nosso dever de casa é estar atentos a essas transformações e perceber como elas estão sendo absorvidas pelo nosso público, para, então, desenvolvermos as soluções mais adequadas.

Há novas parcerias com instituições de ensino no Brasil e fora do País?

No segundo semestre deste ano, reformulamos o Programa de Apoio à Pesquisa, que é coordenado pelo nosso Centro de Pesquisa e Economia do Seguro, o CPES. A partir de então, além da concessão de bolsas de estudo para alunos, a iniciativa também estabelece parcerias diretas com instituições de ensino voltadas para pesquisas com temas específicos. Assim, firmamos três novas parcerias: com a Coppead, para pesquisas na área de Previdência, que já rendeu uma palestra no Rio de Janeiro, no final de novembro; outra com o IAPUC-RJ, para pesquisas na área de Inovação; e a última com o Instituto de Altos Estudos em Seguros-IASEG, para pesquisas voltadas para Inovação em Seguros na área de Regulação e Direito. Nossa intenção é ampliar substancialmente os campos de pesquisa, especialmente nas áreas de Previdência e Inovação em Seguros.