Juarez Monteiro Molinari

Juarez Monteiro Molinari

Presidente da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet)

Para presidente da Abramet, acidentes de trânsito são uma epidemia

É necessário sensibilizar os governos para que o número de mortos e sequelados nas ruas e estradas diminua.
14/09/2018

O que representam, hoje, os acidentes de trânsito para a saúde pública?

Lamentavelmente os acidentes de trânsito devem ser considerados como uma epidemia quase que incontrolável. Por isso entendo ser um grave problema de saúde pública, cabendo aos governantes, desde o Ministério da Saúde, assumirem com grande responsabilidade esta situação. Há uma grande preocupação com a dengue, poliomielite, sarampo e tantas outras doenças, mas não se preocupa com o acidente de trânsito, que mata muito mais do que estas doenças juntas no nosso Brasil. Morrem cerca de 180 pessoas por dia no nosso país devido ao acidente de transito. É como se caísse um avião por dia. Enquanto estou te respondendo estas perguntas, alguém está morrendo por acidente de trânsito. Isto sem considerar os cerca de 400 mil indivíduos que ficam sequelados por ano.

De que forma a Abramet vem atuando no que se refere à educação no trânsito?

A Abramet, com uma história de 38 de anos de serviços prestados, vem se preocupando cada vez mais com o alto índice de acidentes de trânsito. Esse problema deve ser enfrentando por meio da Educação para o Trânsito. Neste caso, o governo e a imprensa precisam ser conscientizado. Será por meio dos órgãos de imprensa, que exercem um papel fundamental, e de todos os governos (federal, estadual e municipal) que poderemos trabalhar visando a educação no trânsito. Neste momento político, ainda não vi nenhum órgão de imprensa e nenhum candidato demonstrar preocupação ou dar destaque  ao acidente de trânsito no Brasil. Acho que eles pensam que isto não dá votos... Tão logo passem as eleições, pretendemos, juntamente com a Associação Nacional dos Detrans (AND) e a Associação Nacional dos Cetrans (Focotran), realizar uma audiência com os governantes eleitos e tentar sensibiliza-los sobre a importância da educação para o trânsito. Com uma boa educação, conseguiremos reduzir o índice de acidentes e consequentemente diminuir os bilhões de reais gastos anualmente devido ao acidente de trânsito.

Como o senhor vê a parceria com o Sindseg SP e outras instituições em programas e iniciativas que visam a reduzir o número de acidentes?

Vejo com muito otimismo e esperança esta parceria com o Sindseg SP, sob a liderança do Sr. Mauro Cesar Batista. Trata-se de uma entidade cuja Diretoria é composta por pessoas de mente aberta que poderão nos ajudar e muito. Destaco também a parceria com o Observatório, sob a liderança do nosso amigo Ramalho, com a AND e o Focotran. Mas entendo como fundamental a parceria com a imprensa.