Ronaldo de Barros Barreto Filho

Ronaldo de Barros Barreto Filho
Superintendente Comercial da HDI Global Seguros e membro do Conselho de Gestão do Sindseg SP

Segmento de seguros deverá crescer entre 8% e 10%

Ronaldo de Barros Barreto Filho prevê um crescimento de 8% a 10% do segmento de seguros em 2018, destacando que as companhias precisam estar preparadas para a volatilidade que normalmente caracteriza os períodos de eleições.
19/03/2018

O ano de 2018 começa ostentando sinais de retomada do crescimento econômico. Considerando os sinais mais positivos vindos da economia, qual é a sua expectativa para o desempenho do setor de seguros em 2018?

Estou otimista com os sinais de retomada e acredito que o setor de seguros apresentará um crescimento entre 8% e 10%. Precisamos estar preparados para a volatilidade em função das eleições e as oportunidades que surgirão com o fortalecimento da economia, como os projetos para infraestrutura.

Quais são os principais desafios que a indústria seguradora enfrentará em 2018 de forma a conseguir ampliar as vendas?

A busca pelo aumento no resultado operacional, considerando a diminuição da taxa de juros e os reflexos da crise econômica. Com o aquecimento da atividade produtiva, a demanda por seguros deve aumentar e, além de ampliar a base de segurados, devemos intensificar a venda de produtos de outros ramos de seguros para a base atual por meio dos nossos corretores parceiros.

Como a HDI Global Seguros vem se estruturando para enfrentar a competição por espaços no mercado de seguros em 2018?

A HDI Global possui um portfólio que contempla seguros patrimoniais, riscos de engenharia, responsabilidade civil, D&O, E&O e Transportes. Temos atuação global, autonomia para a subscrição, apresentamos soluções com agilidade e flexibilidade, além de oferecer excelência na regulação de sinistros. O corretor é fundamental no processo e a proximidade com o mesmo de extrema importância. Apresentamos um crescimento de 29,5% no volume de prêmios e um resultado 59% maior do que o ano anterior. Em 2018, queremos seguir com o crescimento de dois dígitos de forma sustentável.

Como o senhor vê as mudanças nas formas de relacionamento com os clientes, proporcionadas pelas novas tecnologias utilizadas na interação empresa/consumidores?

As novas tecnologias proporcionam uma interação entre as pessoas através de múltiplos canais e, naturalmente, mudanças no comportamento, aumento de eficiência, além de gerar uma série de oportunidades. Devemos considerar os diversos perfis de consumidores e usar a tecnologia para proporcionar uma melhor experiência, com o objetivo de fidelizar o cliente.